Img
Há uma forma ideal de agrupar as crianças em creches?

A resposta é simples: não. Os modelos mais conhecidos de educação infantil possuem critérios muito diferentes. Continue aqui para saber mais sobre esse assunto.

Quando se trata de creche, não existe uma forma ideal de agrupar as crianças. Historicamente, as crianças eram criadas no seio de famílias grandes ou de grupos sociais ainda maiores, e, dessa forma, tinham oportunidade de conviver com irmãos mais velhos. A psicologia do desenvolvimento infantil também não contém recomendações específicas sobre isso. Os modelos mais conhecidos de educação infantil possuem critérios muito diferentes – nos países germânicos, por exemplo, as crianças são atendidas em grupos de 0 a 3 e de 3 a 6 anos. O mesmo ocorre na pedagogia de Montessori.

O importante são os estímulos e desafios que a criança recebe e como reage a eles. Isso sim, requer um conhecimento profundo por parte das instituições que se propõem a lidar com criança.

O currículo de Educação Infantil da Creche Primeiros Passos é apresentado na forma de experiências-chave, isto é, situações, desafios ou vivências apresentadas aos bebês e às crianças. Por meio das relações e interações de qualidade que acontecem entre os educadores e crianças, a vida delas é afetada intensamente de forma significativa e constante em direção a aprendizados e experiências no mundo. Parte do dia, a criança convive com outras em níveis semelhantes de desenvolvimento. Em outros momentos, ela se relaciona com crianças de grupos diferentes, sob o olhar atento dos educadores. A seguir, conheça as nossas turmas:

Berçário 1 – Nesta fase, o bebê descobre os sons, os cheiros, as sensações que os estímulos identificados no ambiente. Através do olhar, do toque do adulto e da imitação, o bebê descobre muito sobre a rotina escolar, em um tempo e ritmo particular.

Berçário 2 – A aquisição do andar possibilita novas descobertas para a criança a partir de 1 ano. O mundo é visto sob outro ângulo, com novos desafios ligados à habilidade e controle corporal. Com a aquisição da fala, de forma gradativa, a capacidade de concentração e de expressão infantil se amplia. A criança descobre que é capaz de tantas ações, estimuladas cotidianamente em direção a uma crescente autonomia nas atividades de rotina diária.

Maternal 1 – O interesse das crianças pelas brincadeiras, histórias e assuntos que as rodeiam cresce a cada dia, assim como o número de palavras conhecidas e a concentração para realizar diversas atividades. As interações com as outras crianças inauguram a inserção no mundo social. As experimentações de movimentos corporais se aprimoram, assim como a iniciativa em participar de forma ativa nas tarefas cotidianas.

Maternal 2 – Nesta idade a criança é capaz de opinar, expressar suas ideias e desejos e recontar histórias utilizando frases mais completas. As brincadeiras têm enredos mais elaborados e imaginativos e a participação de um grupo maior de crianças. Com a maturidade e mediados pela interação com os educadores, a criança aprimora as suas funções executivas e a capacidade de se autorregular, sentindo-se mais segura para lidar com pequenas frustrações, aprendendo a partilhar e a equilibrar seus sentimentos.

Siga a @primeirospassosipanema e marque a sua visita virtual!

img
img